Razer Panthera – Controle Arcade da Razer

Thumb Razer Panthera – Controle Arcade da Razer

Razer Panthera o controle dos sonhos para quem curte jogos de luta

A era dos fliperamas fez muitos e muitos jogadores se acostumarem aos controles no estilo “arcade” — aqueles com manches e botões que no boteco mais próximo já estavam duros depois de tantos marmanjos arrebentarem na fúria de hadoukens e shoryukens por aí. É essa tradição dos arcades que o Razer Panthera vem trazer para os consoles e PCs.

Razer Panthera

Fato é que a tradição prosseguiu entre os jogadores e a comunidade de games de luta. Com a chegada dos consoles e o “abandono” dos fliperamas, muitos ainda gostavam do estilo “nostálgico” ao jogar suas franquias favoritas, como Street FighterMortal Kombat e Tekken. Surgiam as primeiras adaptações dos controles arcades para a jogatina caseira.

Com o crescimento das competições e o avanço do mercado de acessórios, muitas empresas se interessaram nessa fatia com controles dos mais variados tipos e funcionalidades. A Razer buscou entrar no mercado e disputar com as demais empresas japonesas e coreanas em 2013 com o Razer Atrox, feito especialmente para os fãs com boa compatibilidade com o Xbox 360.

Anos depois, com o foco da comunidade no Street Fighter V e a migração ao PlayStation 4, a empresa buscou lançar mais um produto de ponta com a qualidade já alcançada com o Aatrox e com mais possibilidades aos fãs da pancadaria virtual. Surgia o Razer Panthera.

O Razer Panthera reflete, à primeira vista, o design característico dos produtos da Razer. Contraste entre cores escuras demarcam o visual em uma caixa quadrada e com leves nuances, perfeito para carregar em uma mochila dentro de eventos e encontros com os amigos. Ele é mais leve e menor que alguns controles mais tradicionais e arrojados, mas tem o peso suficiente para se fixar em seu colo ao tirar “aquele contra”.

Praticidade

Praticidade é outra palavra-chave para o controle. Seu design padrão de botões já é pensado em diminuir o tempo dos jogadores na hora de configuração, trazendo a sequência de comandos “fracos-médios-fortes” integrados naturalmente com a configuração padrão de Street Fighter V no PS4.

Razer Panthera

Mas isso vai além: você pode trocar internamente os conectores para ajustar a sequência conforme a sua preferência. Isso funciona particularmente bem quando você prefere um layout diferente do que o padrão oferecido pelo jogo — e fazendo isso também facilita na hora de “plugar” o controle e não passar por longas seções de configurações e “button checks”.

Os comandos específicos do PlayStation 4, como L3 e o touchpad, também estão integrados e facilitam muito na hora de praticar no “Training Mode”. É por lá que os jogadores “resetam” muitas e muitas vezes as situações para treinar contra-ataques específicos e combos longos, e nesse quesito o Razer Panthera agrada e muito os jogadores.

Testes

Durante os testes, o Razer Panthera se mostrou simples e eficiente tanto durante as partidas quando na navegação pelo PlayStation 4. Os botões são macios e leves como é de se esperar dos componentes Sanwa. Além disso, ele foi reconhecido facilmente em 99% das ocasiões — com exceção de um bug estranho depois de alguns dias de testes que simplesmente parou de ser reconhecido pelo aparelho; algo solucionado com um simples “reset” do console.

Pelo PC, a adaptação também foi simples. Os computadores atuais tendem a reconhecer facilmente os controles de PS4, e o caso também se estendeu para o Razer Panthera. Foi possível explorar jogos atuais e emuladores com praticidade na hora de configurar os botões.

Customização é um dos pontos mais fortes. O controle é feito para você acessar o seu interior a qualquer momento, bastando tocar no símbolo da Razer para liberar a tampa superior. Por lá, os jogadores podem armazenar o cabo conector e as demais peças.

Razer Panthera

O interior também é feito para facilitar aqueles que gostam de “mods” e alterar os componentes com pouco trabalho, bastando retirar os conectores dos botões atuais e substituir pelos da sua preferência. Jogadores mais dedicados gostam dessa opção até pelo costume com botões mais ou menos sensíveis, como são os casos da Hori ou Seimitsu.

Aliás, para quem é fã do manche clássico dos arcades americanos — o conhecido “cotonete” — o próprio controle já traz uma opção para você alterar sem comprar acessórios adicionais.

Vale lembrar que o controle foca diretamente aos jogadores no PlayStation 3, PlayStation 4 e PC. Grande parte dos games de luta profissionais estão nesse eixo, mas os fãs no Xbox ainda contam com opções, como adaptadores ou o próprio Razer Atrox.

Preço

Por aqui, os valores estão acima de R$ 1 mil a R$ 1,4 mil, o que com certeza é salgado ao bolso de muitos gamers brasileiros. Opções “premium” de concorrentes diretos, como Madcatz e Hori, beiram nessa faixa ou um pouco mais abaixo. Os diferenciais e a qualidade do controle justificam o seu preço, então fica a escolha para o jogador saber que tipo de acessório ele está procurando.

Longevidade

Há um outro aspecto final, dessa vez beirando a longevidade: o Razer Panthera é feito com grande foco ao PlayStation 4, mas ainda não há a garantia que vá funcionar com a mesma qualidade em consoles de futuras gerações. Isso é importante a ser avaliado na hora da compra — principalmente porque, na transição recente entre PS3-PS4, muitos controles arcade não conseguiram acompanhar o mercado.

Conclusão

Como um todo, o Razer Panthera é agradável em todos os momentos que se propõe: desde o treinamento básico em sua casa quanto na jogatina com os amigos e em eventos. É feito também para agradar vários perfis, com opções diversas de customização e de fácil acesso ao seu interior. O preço, no entanto, é o ponto mais sensível na hora de avaliar o produto ideal que encaixa ao seu investimento e no seu interesse a longo prazo — mas este é um produto que compensa pela sua qualidade e amplitude de opções.

Fonte: theenemy

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: